quarta-feira, 2 de maio de 2012

O que é vaidade na bíblia?

Por Jesiel Padilha














Temos ouvido não poucas vezes alguém se referir à vaidade como algo que Deus abomina. Mas o assunto que abordaremos não se trata de saber se Deus condena ou não a vaidade, e sim, o seu significado. Realmente Deus a condena, mas será que esta palavra tem sido analisada à luz da Bíblia? Ou tem sido interpretada superficialmente? Quando se fala em vaidade logo se pensa em cabelo, roupas, jóias. Mas quando examinamos o verdadeiro sentido, nos conscientizamos de que a Bíblia não se refere ao fato de alguém se embelezar. A vaidade que Deus abomina é um assunto muito mais abrangente do que certas pessoas querem acreditar. Esta palavra passou por um complexo processo de desenvolvimento, incluindo no seu significado as fases de algo vazio, daí para as porções de inutilidade, ludíbrio e iniquidade.


No Antigo Testamento, a palavra vaidade aparece mais de cem vezes e foi traduzida de três termos hebraicos, a saber: nadab que significa oco, vazio; hebel que quer dizer inútil e shaw que tem sentido de ludíbrio ou falsidade. Das cem vezes que aparece a palavra vaidade, jamais, em toda a Bíblia, significa se embelezar ou andar bem arrumado, com adornos.

Como vimos ser vaidoso na Bíblia significa ser falso, idólatra ou inútil e nunca ser cuidadoso com a beleza. Todos os versículos tanto do Novo quanto do Velho Testamento, que ser referem a vaidade estão relacionados à idolatria, falsidade e coisas vãs. Seguir a vaidade é ser guiado pela '"bíblia das vaidades". A falsa religiosidade tem o mesmo sentido da vaidade segundo a Bíblia, pois aparenta ser santo por fora quando na verdade não o é por dentro. De acordo com as Escrituras, vaidade são coisas fúteis, enganosas e inúteis como: idolatria, auto-suficiência, orgulho, arrogância e tudo aquilo que tem brilho falso. Quando Israel pediu um rei, Deus disse a Samuel que o seu povo havia seguido a vaidade, isto é a idolatria.

O legalismo religioso tem sido combatido pela Bíblia como sendo vaidade, principalmente, no Novo Testamento, onde Jesus condena o farisaísmo, seita judaica que cumpria o protocolo religioso em detrimento da piedade. Ainda hoje, encontramos pessoas preocupadas com o esterótipo e esquecendo do perdão e do amor. Ensinando uma coisa e vivendo outra. Este comportamento se constitui um ato de hipocrisia, portanto, vaidade. Menosprezar as pessoas, pensar que é mais santo ou mais importante do que alguém é vaidade reprovada pelo Senhor. 


Mal entendido

Algumas pessoas têm escolhido o texto de Isaías 3.17-26 para provar que Deus condena o uso de perfumes, adornos, roupas caras etc. Todavia, o texto descreve uma cidade representada por uma mulher que seria humilhada, e desta cidade seria tirado seus adornos, mas também suas roupas. Cuidado com essa interpretação.

No Novo Testamento, temos sete palavras gregas para a tradução de vaidade que são: kenós que significa vazio, aparecendo dezoito vezes; kenophonia, som inútil, termo que aparece duas vezes; mátaios, inútil, seis vezes; mataiotes, inutilidade, surge três vezes; maten, em vão, duas vezes; eikê, à toa, cinco vezes e doreán, sem preço. A vaidade, portanto, é um termo genérico para coisas vazias. A própria vida se torna vaidade quando não se tem Cristo. Ser vaidoso é não ter humildade e não reconhecer que sem o Criador nada podemos fazer. Quanto ao andar limpo, bem arrumado, cheiroso, com roupas adequadas desde que decentes, nada tem a ver com vaidade. Antes, é um cuidado com o corpo que é templo do Espírito Santo.

As mulheres têm sido alvo de perseguição nesse aspecto, enquanto os homens podem usar ternos caros e gravatas requintadas. Para o machista não é conceptível que a mulher esteja por cima, já que a beleza lhe proporciona este status, por se tratar de atração, algo que chama a atenção, portanto superior. Eu fico com a Bíblia (Eu também) e sua recomendações de que não devemos atar fardos pesados nos ombros dos crentes.

A Palavra é nosso manual de conduta, por isso precisamos nos portar como filhos de Deus no meio de uma geração perversa. Devemos evitar os excessos e trajarmos decentemente. A Escritura diz que tudo que é puro, honesto, justo, amável, de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai (Fp 4.8).

Quanto as recomendações bíblicas para a postura da mulher ou do homem no que diz respeito ao traje, tenhamos cuidado, pois existe um abismo cultural muito grande entre a Bíblia e a nossa realidade. Paulo recomenda por algum motivo social da época, as mulheres não usem tranças, ouro, pérola ou vestidos caros. Cumprir esta recomendação seria um absurdo, pois teríamos de proibir o anel de casamento, bem com as tranças tão usadas pelas irmãs e teríamos ainda de investigar quanto custou a roupa das irmãs. É como querer obrigar os crentes a lavar os pés em dia de Ceia ou exigir o ósculo santo (beijo). Existem mandamentos bíblicos que são eternos e existem recomendações para a época, como por exemplo: sair para evangelizar de dois em dois, não carregar dinheiro no bolso, não cumprimentar as pessoas, não viajar com roupas ou sapatos na mala. Cuidado para não confundir recomendações temporais com mandamentos permanentes. O apóstolo Paulo recomenda aos crentes a modéstia, e ensina que o fato de alguém estar bonito ou feio não significa estar santificado, pois a beleza que Deus se agrada é a beleza de caráter (1Pe 3.3).

Fonte: Jornal Mensageiro da Paz/Junho de 1999/seção: Edificação/Autor: Pastor Jesiel Padilha. Titulo original: O que é vaidade; Negritos acrescentados pelo autor do blog.

Sobre o autor: Pastor Jesiel Padilha de Siqueira é Líder da Assembleia de Deus em Santos/SP,   Membro do Conselho de Educação e Cultura da CGADB, também é professor de Novo Testamento e Teologia Sistemática. 


Concorda com:
Eliel Toledo

18 comentários:

Luis Dorneles de Oliveira disse...

Caro irmão em Cristo. Concordamos em parte, mas, no todo, absolutamente não. Explicamos:

Quando o apóstolo Paulo direcionado por Deus, ante-via os dias da vinda do nosso Senhor Jesus Cristo (arrebatamento da igreja) em I Tes. 5 nos admoestava (a)que devemos nos abster de toda a aparência do mal. E que devemos ter nesta oportunidade, o espírito,a alma e o corpo, achados irrepreensíveis para que isso se possa ter êxito no estar com o Senhor Jesus naquele dia. Todos nós sabemos que nos vestir adequadamente é uma necessidade bíblica. No entanto, vestir-nos para sermos atrativos, induzindo os outros ao erro em seus corações é uma temeridade a qual de maneira nenhuma devemos incorrer. Ora, bem sabemos que a moda, principalmente a sensual, a é concebida no inferno, pois, bem podemos ver a origem de quem às cria, de quem às faz. Porquanto, nenhum destes supostos senhores (as)professa ao Senhor Jesus. Ao contrário, são contrários a sua própria natureza e com isto, contrários às leis divinas. O espírito, a alma e o corpo, segundo ás Escrituras terão que serem encontrados em estado de santidade. A santidade é de dentro para fora e isto não exime ao corpo, o qual DEVE SER APRESENTADO EM SACRIFÍCIO VIVO, SANTO E AGRADÁVEL A DEUS, QUE É O NOSSO CULTO RACIONAL (Devo cultuar a Deus e não o corpo). Não devo me conformar com o mundo, mas me transformar a minha mente para que realmente saiba qual seja a boa e agradável vontade de Deus. DE MANEIRA NENHUMA POSSO DESVINCULAR O MODISMO DE NÃO SER TAMBÉM VAIDADE, POIS, ISTO SERIA UM ASSASSINATO do contexto bíblico de Gênesis 35 e dos demais referentes ao mesmo assunto. Porquanto se isso fizesse seria dizer que Deus não fora mais o mesmo; não o é mais o mesmo e não o será o mesmo. As prerrogativas que são a coluna vertebral da bíblia desde, principalmente Deuteronômio até Apocalipse as quais não se deve tirar e nem acrescentar nada ao Santo Livro seria uma mera colocação indevida.

QUANDO NO PASSADO VÍAMOS DEUS OPERAR ATRAVÉS ATRAVÉS DA NOSSA DENOMINAÇÃO, ERA PORQUE ELA GUARDAVA OS PRECEITOS DO LIVRO DOS LIVROS. Hoje, estamos muito aquém do que éramos. TERIA DEUS MUDADO? OU NÓS QUE ESTAMOS COPIANDO O ERRO; SENDO INDUZIDOS PELO ERRO E ESTAMOS OUVINDO SÓ NO SAUDOSISMO DE UTRORA?

Luis Dorneles de Oliveira disse...

CORRIGINDO O TEXTO

QUANDO NO PASSADO VÍAMOS DEUS OPERAR ATRAVÉS ATRAVÉS DA NOSSA DENOMINAÇÃO, ERA PORQUE ELA GUARDAVA OS PRECEITOS DO LIVRO DOS LIVROS. Hoje, estamos muito aquém do que éramos. TERIA DEUS MUDADO? OU NÓS QUE ESTAMOS COPIANDO O ERRO; SENDO INDUZIDOS PELO ERRO E ESTAMOS OUVINDO A MUITOS E NÃO A DEUS E POR ISSO ESTAMOS SÓ NO SAUDOSISMO DE OUTRORA?

Eliel Toledo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliel Toledo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliel Toledo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliel Toledo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliel Toledo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliel Toledo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliel Toledo disse...

Querido irmão Luis, a Paz do Senhor,
Agradeço o comentário e peço desculpas pela demora, devido a muitas tarefas não pude atualizar o blog.
Eu sabia, quando postei e aprovei o artigo em questão, que geraria polêmica em nossos arraiais assembleianos, porém vamos lá:
O assunto postado é bem claro quando no início do texto diz não se tratar de “saber se Deus condena ou não a vaidade, e sim, o seu significado”, vou falar um pouco agora sobre vestimenta cristã.
Erroneamente muitos usam esta palavra para defender a sua “tradição”. Quando na verdade, o grande avivamento não vem através da indumentária, e sim através de uma série de fatores que culminam na íntima comunhão com Deus.
Creio não adiantar nada querem reaver um avivamento passado tentando impor vestes ultrapassadas, costumes épicos e leis literalmente humanas. Sendo assim, alguém poderia sugerir o retorno dos chapéus que eram obrigatórios nas Assembleias de Deus. Os tempos são outros, e o que permanece é a palavra de Deus.
Na palavra de Deus, temos bem claro que aquele que aceita a Jesus “morre para o mundo” (Cl 3.3) no sentido de receber uma nova vida com Cristo, deixando ser regenerado passando pelos processos do novo nascimento (I Jo 5.1), Lavagem (Tt 3.5), Vivificação (Ef.2.5) Criação (II Co 5.7), Ressurreição (Cl 3.1) e Santificação (I Pe 1.15).
Portanto o discípulo de Cristo é santificado, na prática, pela separação do mundo, leitura da palavra de Deus (obediência) e consagração (jejum e oração), num processo dinâmico de acordo com sai iniciativa pessoal.
Nesta iniciativa de obediência a palavra de Deus, é que o crente começa uma série de mudanças de hábitos e costumes, que exteriorizam a ação do Espírito Santo na sua vida. Nesta exteriorização é que os valores mundanos devem ser substituídos por valores cristãos. Seu testemunho, ou seja, postura ética que é exercido no cotidiano, a libertação de vícios tais como cigarros, drogas, jogatinas, apostas, etc.
Quanto a moda, que foi citado pelo irmão, realmente em nossa cultura, as pessoas que ditam as tendências da moda, na grande maioria são pessoas sem nenhum compromisso com moralidade e nem com santidade. Mas como a troca de estilos sempre ocorre, quiçá tivéssemos nestes segmentos, pessoas comprometidas com Deus para lançar moda compatível com nosso “modus viventi”. Diante disso, temos que selecionar nossos vestuários sim, não podemos andar aderindo a tudo que é lançado nos tablóides, mas como somos obrigados a suprir nossa necessidade de vestimenta, devemos selecionar aquilo que se enquadra na única recomendação bíblica sobre vestuário, que está registrado em 1 Timóteo 2:9-10. A bíblia não estabelece padrões rígidos, mas propõe que deve ser com modéstia, decência. Bom senso e equilíbrio. O servo de Deus portanto quanto à vestimenta, deve se enquadrar nesta recomendação.
Mas também devo lembrar que o servo de Deus não precisa trajar-se relaxadamente ou de maneira antiquada, pois isso chamaria a atenção para o ridículo, mas sim com bom gosto, para que possamos parafrasear o salmista quando disse: “tudo que há em mim bendiga o seu santo nome.”(Sl 103:1).
Se puder, porque não comprar um bom perfume, um paletó bem ajustado e bonito, aproveite e cuide da sua aparência, ou seria pecado? Um corte de cabelo descente, um bigode bem aparado, (ou este que está em desuso deve voltar para que tenhamos um avivamento?) etc.

MAIS SOBRE VESTIMENTA
Entre as 31 características da mulher virtuosa de Provérbios 31, o versículo 22 diz que ela faz para si tapeçaria, de linho fino, e para si faz também vestes de púrpura. Seria isso vaidade ou virtude?

SOBRE ENFEITES
Cantares 1.10-11 na alegoria da noiva (igreja) e o noivo (Cristo), O noivo elogia a noiva, dizendo que são agradáveis (belas) as suas faces entre os enfeites, e o seu pescoço com os colares. O noivo ainda diz que fará para ela (v.11) enfeites de ouro com pregos de prata. Que seria isso?

Eliel Toledo disse...

MEU POSICIONAMNETO (parte II)

Caro amigo, tenho uma influência muito grande de minha igreja, ao qual sirvo a Deus, pois sou neto de pastor assembleiano, sou filho de pastor assembleiano, sou casado com uma filha de pastor, sobrinha de pastor, neta de pastor. E sinceramente sinto muito pelos excessos praticados no passado, porém creio que a época assim exigia. A doutrina é imutável, porém os costumes são passageiros. Creio sim que o exagero não faz bem, excessos de pinturas, pingentes, colares, etc. Creio que o viver sincero e uma vida comprometida com o reino de Deus é exteriorizado em nossas vestimentas e na maneira como nos portamos e apresentamos, inclusive na aparência.
Em Ester 2:12-17 vemos que Ester não precisou de tantos ornamentos e outras coisas que as outras virgens colocaram achando que agradariam ao rei, talves a sua própria simplicidade a tornava mais bela. Isto se encaixa na modéstia e no equilíbrio que deve ter a serva de Deus.

Eliel Toledo disse...

CONTEXTUALIZAÇÃO (parte III)
Vivemos na época da disseminação da informação. Todos tem acesso a tudo que quiserem e buscarem, e com uma rapidez incrível. Devemos aproveitar esta “facilidade” e também informar corretamente o amor de Deus, seu plano salvífico e como se manter obediente a sua palavra, o servindo de todo o coração. Nossa época exige informações precisas e corretas.
Qual é a cultura do povo brasileiro? O que, nesta cultura fere a nossa fé? O que em nossa cultura vai contra os princípios bíblicos? Isto é o que devemos analisar sem querer comparar outras épocas e gerações. Mesmo porque, o início da Assembleia de Deus no Brasil não foi o único grande avivamento do mundo desde o pentecostes, tivemos muitos outros, e em culturas variadas. Basta ler o livro “fundamentos bíblicos de um autêntico avivamento” de Claudionor de Andrade.

FINALIZAÇÃO
Em tudo que expuz, não disse em momento nenhum que devemos cultuar o corpo, devemos cultuar à Deus, digno de toda honra, glória e louvor. Estes cuidados com a vestimenta e a aparência, enquadrando-se na recomendação de 1 Tm 2:9-10 (modéstia, decência. Bom senso e equilíbrio) em nada interfere o nosso culto e devoção à Deus, isto eu digo sem medo de errar.
Devemos nos abster da aparência do mal? Sim, uma veste indecorosa, que induza à sexualidade, ou à tentação, está exteriorizando um coração impuro, que tem estas intenções, isto não só é aparência, como também é algo mal aos olhos de Deus.
“...de maneira nenhuma posso desvincular o modismo de não ser também vaidade, pois, isto seria um assassinato do contexto bíblico de gênesis 35 e dos demais referentes ao mesmo assunto. porquanto se isso fizesse seria dizer que deus não fora mais o mesmo; não o é mais o mesmo e não o será o mesmo...”
O contexto de Gênesis 35 nos relatam a destruição dos ídolos, e disse Deus à Jacó: ...”Tirai os deuses estranhos que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes...Então, deram a Jacó todos os deuses estranhos que tinham em suas mãos e as arrecadas que estavam em suas orelhas...” Neste texto, está claro que no momento que decidimos servir à Deus, devemos romper com tudo quanto nos ligue á deus estranhos, segundo Finis Jennings Dake, estudioso da bíblia, comentando este texto, diz que:
os brincos não usados na idolatria eram permitidos por Deus (Gn 24.22,30,47; ~Ex 32.2,3; 35.22; Nm 31.50; Jz 8.24-26; Jó 42.11; Pv 25.12; Ez 16.12; Os 2.13; 1 Pe 3.5,6). Eles eram feitos de ouro, prata, bronze, marfim e madeira e eram frequentemente adornados com pedras preciosas. Aqui eles eram ligados à idolatria, e é por isso que Jacó ordenou que fossem retirados. Por essa razão, eles foram condenados em Isaías 3.20 e Oséias 2.13. Na idolatria, eram usados como amuletos e talismãs para desviar o mal. No oriente eles continuam sendo usados por alguns com esse propósito. (Dake, Bíblia de estudo, p.47, CPAD).

Portanto devemos analisar os textos da bíblia e cuidar para não fazer interpretações perigosas e...”Mas Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. Filipenses 4:8
No passado, estas questões controversas eram alvo de horas e horas de discursos em praças, teatros e outros lugares públicos, porém com o advento da tecnologia nos permite assim fazer via novas mídias que surgem.

Aleluia! Amém! Continuemos buscando o reino de Deus e a sua justiça. Sendo fiéis até o dia em que receberemos a coroa da vida.
Eliel Toledo

Eliel Toledo disse...

(não sei porque o blogger multiplicou o numero da mesma postagens, por isso tive que excluí-los)

Eliel Toledo disse...

ALGO SOBRE A IGREJA LOCAL E OS COSTUMES (parte IV)
O termo igreja, no Novo Testamento, faz referência ao povo de Deus em 2 aspectos, universal (1 Ts 4.17) e local. (Rm 16.5, 1 Co 1.2)
Podemos dizer que a igreja universal (Não tem nada a ver com a igreja do Sr. Edir Macedo) é formada por milhares de igrejas locais espalhadas pelo mundo. Igreja local significa um grupo de crentes que se reúne em determinado lugar.
Nos tempos apostólicos não existiam denominações, pois cada igreja guardava certa independência administrativa, e a e a única coisa que as tornava diferentes uma das outras eram o nome da cidade, todavia todas seguiam a mesma doutrina; e as dúvidas eram resolvidas com os apóstolos.
Hoje existem muitas denominações, várias delas fruto de dissensão, rebeldia, ganância, orgulho, mas muitas legítimas. Estas, as legítimas, são aquelas que guardam a sã doutrina contida na Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.
Mas os líderes lidam com este aspecto na administração e organização da igreja local? Muitos utilizam o próprio estatuto para normatizar algumas práticas, quero crer que buscam com isso preservar seus membros, e para isto, utilizam regras buscando o bem comum. Esta é a normatização dos costumes da igreja local. Aqueles que querem pertencer a ela, é claro, devem segui-la.
Para aquelas igrejas que preferem não normatizá-las, buscando sempre as respostas na interpretação da palavra de Deus, e/ou diretamente no conselho de seu líder, também devemos lembrar que o membro deve obediência e considerar o conselho de seu pastor, e o pastor (líder) deve ser buscar em Deus e em sua palavra a orientação sábia.
Vejam bem a responsabilidade e autoridade parcial que tem o líder da igreja local, sua autoridade porém deve sempre ser embasada na palavra de Deus e não meramente em costumes locais ou achismos. “No meu tempo era assim”, muitos dizem sem analisar bem a palavra e as demandas da atual geração que também precisa de Deus e se arrepender de seus pecados, e estão inseridos num cotidiano muito diferente daquele vivenciado a 20 ou 30 anos atrás.
A moral é o conjunto de regras que definem o que é certo ou errado para um povo, Já a ética é a prática destes conjuntos de regras, portanto pode variar muito diante de tantas etnias e culturas que existem no planeta.
Se a moral e a ética de um povo forem contrárias à palavra de Deus, deve ser combatida e condenada pela Palavra de Deus. Portanto costumes sem nenhum embasamento bíblico, e ferindo a cultura local é apenas pretexto para imposição de idéias e pensamentos individuais. Como disse o mestre Pr. Antonio Gilberto: Texto sem contexto é pretexto para heresias.
Lembro-me de um pequeno manual que continha um conjunto de regras que eram entregues para os membros de uma denominação (IPDA), onde normatizava até mesmo os louvores, proibindo-os de utilizarem playback’s de outras gravadoras, que não fosse aquela pertencente á sua denominação. Regrava também os assentos separados para homens e mulheres, será que isto é aceitável hoje em dia? Imaginem um casal que é convidado para ir à igreja e chegando lá, alguém os separa e cada um vai para um lado, ficando isolados um do outro, principalmente numa época de tanta infidelidade e problema nos casamentos, uma igreja deve uni-los cada vez mais, ou será que acham que o casal vai profanar o templo sentando junto, dando se as mãos, e ficando bem juntinhos? Casos que estou citando que talvez ainda exista em algum lugar.
E se aquilo que para nós é normal, como tomar chimarrão, fosse proibido pela igreja sob argumento de ser um vício? O que acharíamos? É uma regra da igreja local que seria imposta como costume que estaria ferindo uma tradição do povo gaúcho.
Portanto reafirmo que tudo aquilo que um povo acha ser certo ou errado deve passar primeiro pelo crivo da Santa Escritura, e a igreja não deve interferir na cultura de um povo proibindo algo que em nada altera a comunhão que cada indivíduo deve ter com Deus.

Eliel Toledo disse...

SOBRE NORMATIZAÇÃO DE COSTUMES (parte V)
O costume por ser relativo, eu entendo que não deveria ser imposto como obrigação, como era costume de missionários europeus que tentavam impor seus costumes em países da América e da Asia. Como hoje temos o conceito de transculturação que esclarece este problema.
Bons costumes não é um fardo que Jesus já tirou na Cruz do Calvário, mas é resultando de uma doutrina sadia.
O costume muda naturalmente, porém o líder deve ficar atento e sempre se posicional em questões de exageros, tais como estão fazendo algumas igrejas em nosso país que até um baile funk “gospel” promovem para atrair e entreter a juventude. Creio que não precisamos disso, trata-se de um exagero.
Finalizo esta série de comentários, citando Pr. Geremias do Couto:
O costume é relativo, o Pr. Geremias do Couto afirma que “Ao insistirmos nos absolutos, não queremos afirmar que não haja também conceitos relativos. Essa diversidade se manifesta, por exemplo, nas comidas típicas de cada país, nos estilos da arquitetura, no estilo da vestimenta e até mesmo em relação à hora de dormir, que depende do fuso horário. Mas tais circunstâncias relativas acabam apontando para princípios biológicos absolutos; todos precisam alimentar-se, todos precisam dormir. (Lições Bíblicas da CPAD, 4º trimestre de 2005)

Miriam disse...

Nasci em um lar Cristão, na minha adolecência, quem me olhava dizia: " está é crente, saia comprida, cabelo sem cortar as pontas, etc. Mas no meu coração Deus me dizia: Você está com um pé dentro e outro fora", quem me olhasse jamais falaria isto. Conclusão: Se passaram, mais ou menos 25 anos, mas ainda na minha adolecência Deus me levou a conhcê-lo melhor e assim o amá-lo. Deus me levou a ter interesse pela palavra para que através dela eu o amasse. E isto significa que é mais do que ser membro de uma igreja ( não sou contra, pois sou menbra)pois na minha adolecência eu não amava a Deus, amar é ter um relacionamento com Deus, onde, tudo que vc faz é pensando em agradá-lo. Ao ler a Bíblia percebi que o amor a Deus e ao próximo está acima de tudo e quando isto acontece, as benções são incontáveis, e isto não significa que não há dificuldades, lutas etc, mas quando amamos a Deus tudo o que passamos é para sua glória. Enfim, no mundo em que vivemos temos diversas culturas, mas a palavra diz: " ... isto é, a justiça de Deus pela fé em Cristo Jesus para todos e sobre todos o que crêem; porque não há diferença. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" Romanos 3:22,23, portanto o que Deus quer de nós tranpõe a cultura, somos um só povo,o que Deus exige de nós exige de qualquer um. Quanto ao tema eu concordo, que as mulheres devem se portar com decência, pudor e respeito. Hoje as igrejas que ainda usam os usos e costumes ( não usar calça, brinco, pintura, etc) muitas jovens e mulheres, estão usando saias curtas e justas, vestidos justos, que marcam o corpo, e estes tipos de roupa, deixa de ser decente. Então, realmente precisamos amar a Deus e aceita-lo de todo o nosso coração, para que o Espirito Santo faça morada em nossas vidas. A palavra diz: " Porque o pecado não terá dominio sobre vós, pois não estais debaixo da lei , mas debaixo da graça" Romanos 6:14 e isto para mim significa que o pecado é um acidente na vida do salvo. E também a palavra diz: ... Mas que diz? A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; e esta é a palavra da fé que pregamos, Romanos10:8 portanto, a Lei Deus a pôs em nossos corações, então sabemos o que fazemos está certo ou errado. A pergunta que não quer calar: será que realmente nascemos de novo? Nunca se falou tanto de pecado na igreja como nos dias de hoje. Será que as pessoas realmente aceitaram ou entenderam a mensagem da Cruz? Se sim. Romanos 6:6 a 13 " Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado. Porque aquele que está morto está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com Ele viveremos; Sabendo que, tendo sido Cristo ressuscitado dentre os mortos , já não morre; a morte não tem mais domínio sobre Ele. Pois, quanto a ter morrido,de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivo para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; Nem tampouco apresenteis vossos membros ao pecado por instrumentos de iniquidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre os mortos, e os vossos mebros a Deus, como instrumento de justiça.Precisamos rever nossas decisões e nossas atitudes, se realmente somos de Cristo; porque se não estamos enquadrado na palavra, se não obedecemos os seus mandamentos, e se estes são pesados? São sintomas que as coisas precisam ser revista. Amém

jonas Servo disse...

Sou da assembléia de Deus!Concordo com o pastor Eliel! A vida é mais do que a vestimenta!Jesus disse:"aí de vós,escribas e fariseus,hipócritas!pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados,que por fora realmente parecem formosos,mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia.assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens,mas interiormente estão cheios de hipocrisia e de iniqüidade "(MT 23:27-28)!concordo que a vestimenta tem que ser modesta,distinta e com pudor!mas do que adianta o saião ou o terno se o coração ta cheio de pecados ocultos e hipocrisia?acima da preocupação de vestimenta temos que ter preocupação em andarmos com o nosso coração em santidade bíblica e temor a Deus!vestimenta não trás avivamento(alguém acima disse isso),o que provoca avivamento é buscar santidade e ser cheio do Espírito Santo!

Anônimo disse...

Pode ser pastor, filho de pastor, bisneto de pastor, neto de pastor, casado com filha de pastor, pode ter nascido na igreja, crescido na igreja,,se batizado na igreja, casado na igreja, morrido na igreja, velado na igreja, e ter sido inclusive sepultado dentro do recinto da igreja. A palavra é de Deus e é imutável. sem a santificação da alma e espírito e corpo não haverá salvação nem para mim, nem para você, nem para ninguém. A palavra é de Deus e sendo assim ainda que você pastor ou qualquer outro sábio e entendido ou não, não tem poder para mudá-la adequando-a segundo o sua vida ou a sua forma de pensar. Ainda que vocês rasguem ou queimem a bíblia inteira a Palavra do Senhor permanecerá! 1 Ts 5:23. E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Estas são suas palavras:(E sinceramente sinto muito pelos excessos praticados no passado, porém creio que a época assim exigia) Agora veja a palavra de Deus.(Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos nele. Jeremias 6:16 Contudo o meu povo se tem esquecido de mim, queimando incenso à vaidade, que os fez tropeçar nos seus caminhos, e nas veredas antigas, para que andassem por veredas afastadas, não aplainadas; Jeremias 18:15 Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!
Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!
Isaías 5:20,21 ( Suas palavras meu querido irmão Vs a palavra de Deus) Creio sim que o exagero não faz bem, excessos de pinturas, pingentes, colares, etc. (Um pouco de fermento leveda toda a massa. Gálatas 5:9
Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa? 1 Coríntios 5:6 Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. 1 Coríntios 5:7 Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? 1 Coríntios 6:19 Agora, se o nosso corpo é simplesmente a nossa forma física, formado por um conjunto de células, que logo mais se tornará em pó e acabou-se, podemos sim,mesmo acreditando que vamos habitar com Jesus, sermos participantes de todos os usos e costumes dos impios com modéstia ou sem modéstia; e sermos certamente elogiados pelos ímpios que são do mundo, e também pelos ímpios que fazem parte da igreja ou deste sistema religioso babilônico. Mas, se temos consciência que o nosso corpo é templo do Espirito de Deus e que ele habita em nós e que não provém de nós mesmos mas de Deus, então temos que nos separar para Deus. (Assim diz o Senhor: Não aprendais o caminho dos gentios, nem vos espanteis dos sinais dos céus; porque com eles se atemorizam as nações. Jeremias 10:2) (Esquadrinhemos os nossos caminhos, e provemo-los, e voltemos para o Senhor. Lm 3:40) (Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que, porquanto as minhas ovelhas foram entregues à rapina, e as minhas ovelhas vieram a servir de pasto a todas as feras do campo, por falta de pastor, e os meus pastores não procuraram as minhas ovelhas; e os pastores apascentaram a si mesmos, e não apascentaram as minhas ovelhas; Ezequiel 34:8) Desculpa meu querido, se quiser deletar meu comentário fique a vontade. Mas uma coisa tenho a dizer: Não se envaideça por ser influente, por ser sábio, pastor ou filho de pastor. Ensina pastor, as ovelhas que o Senhor confiou em suas mãos a temerem a Deus e a glorificarem ao Senhor inclusive através do corpo o qual pertence a Deus.

Eliel Toledo de Chaves disse...

Caro anônimo, obrigado pela leitura deste humilde blog, creio que o truxe aqui foi a pesquisa sobre o tema, pois bem, muito obrigado e que Deus te abençoe.

Sua colocação "Pode ser pastor, filho de pastor, bisneto de pastor, neto de pastor, casado com filha de pastor, pode ter nascido na igreja, crescido na igreja,,se batizado na igreja, casado na igreja, morrido na igreja, velado na igreja, e ter sido inclusive sepultado dentro do recinto da igreja. A palavra é de Deus e é imutável. sem a santificação da alma e espírito e corpo não haverá salvação nem para mim, nem para você, nem para ninguém". está corretíssima. Quando me referi a ser filho de pastor, não me referi para afirmar que minha salvação estava garantida, é óbvio que sem santificação ninguém verá o Senhor!

Portanto, percebo que a afirmativa de salvação através de santificação, foi utilizada ao longo do seu argumento, para justificar o seu "entendimento" de que a vaidade, alvo deste estudo, é pecado contra a santidade. Sugiro reler os textos acima, com coração voltado à rever seus conceitos, não o que está escrito na palavra de Deus, que é imutável.

Não se força texto para encaixar na sua posição pessoal.

Abraços na paz do Senhor!

Sugiro deixar seu nome e localidade, da próxima vez.