sábado, 26 de maio de 2012

Será que eu posso repetir a oração do Pai Nosso?



A oração do Pai nosso talvez seja a mais repetida do Cristianismo, ela foi ensinada por Jesus Cristo aos seus discípulos, porém não vemos ser repetida por eles no restante dos relatos bíblicos, isto porque naquele momento, o Filho de Deus estava explicando sobre como orar.

Versículos anteriores a esta oração registrada no capítulo 6 de Mateus, entre outras orientações,  Cristo diz: “E orando, não useis de vãs repetições...” , isto justamente ensinando-nos a não sermos como pessoas que acham que pelo muito falar é que serão ouvidos, ou atendidos. Mas Jesus utiliza o Pai nosso como um exemplo de oração, mas que deve ser orado com muito cuidado, sabedoria e devoção ao nosso Salvador. Vejamos a análise feita por um autor desconhecido sobre esta oração:  

1. Não posso dizer NOSSO, se vivo num compartimento espiritual de onde nada sai e onde nada penetra; se penso que no céu esta reservado um lugar especial apenas para a minha denominação.
2. Não posso dizer PAI, se não demonstro diariamente a minha relação de filho.
3. Não posso dizer que estás no céu, se estou tão ocupado com a terra que não ajunto tesouros lá.
4. Não posso dizer SANTIFICADO SEJA O TEU NOME, se eu, que sou chamado pelo seu nome, não sou santo.
5. Não posso dizer SEJA FEITA A TUA VONTADE, se estou discutindo ressentido e desobediente à sua vontade para comigo.
6. Não posso dizer NA TERRA COMO NO CÉU, se não estou preparado para dedicar minha vida aqui ao serviço seu.
7. Não posso dizer DÁ-NOS HOJE O PÃO NOSSO DE CADA DIA, se estou vivendo na experiência do passado ou se não faço muita questão de ter o que pedi.
8. Não posso dizer PERDOA-NOS A NOSSAS DÍVIDAS, ASSIM COMO NÓS TAMBÉM TEMOS PERDOADO AOS NOSSOS DEVEDORES, se guardo rancor contra alguém.
9. Não posso dizer NÃO NOS DEIXE CAIR EM TENTAÇÃO, se eu deliberadamente me ponho a mim mesmo ou fico onde provavelmente poderei ser tentado.
10. Não posso dizer LIVRA-NOS DO MAL, se não estou preparado para lutar no reino espiritual com a arma da oração.
11. Não posso dizer TEU É O REINO, se não concedo ao rei a obediência disciplinada de súdito fiel.
12. Não posso dizer TEU É O PODER, se temo o que os homens me possam fazer, ou o que os vizinhos possam pensar de mim.
13. Não posso dizer TUA É A GLÓRIA, se estou procurando a minha própria glória.
14. Não posso dizer PARA SEMPRE, se meu horizonte está limitado pelas coisas do tempo.
15. Não posso dizer AMÉM, se também não acrescento "Custe o que custar". Porque dizer esta oração honestamente, equivale a consagrar tudo a Deus.

Estes 15 itens servem nos de reflexão, para analisarmos se por acaso não estamos apenas fazendo “vãs repetições”, pois não atentamos para o que, afinal, nossos lábios estão dizendo. Oração se faz com o Coração. Quer saber? Simplesmente ore... Quer saber como aprofundar a sua vida de oração?ORE. Não comece tentando fazer grandes preparativos para orar, pois as mudanças acontecerão depois. Simplesmente.ORE!!!! 




Eliel Toledo
Artigo publicado no Jornal O Semanário/2011

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Novidade: Web Site www.adtupancireta.com.br

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Tupanciretã estréia seu novo web site, mais um meio de comunicação com seus membros e amigos, com a comunidade local  e uma ferramenta para a divulgação do Reino de Deus e suas verdades:
www.adtupancireta.com.br

Acesse: 



sábado, 5 de maio de 2012

AD Passo Fundo em 360 graus

Passo Fundo é minha terra natal, saí de lá com 7 anos de idade, morávamos no porão da igreja, que agora foi reformulada. Bom, descobri na internet uma imagem em 360 graus da igreja atual, para visualizar basta clicar no link:


quarta-feira, 2 de maio de 2012

3 anos atrás

Data: 02 de Maio de 2009;
Cidade de Santo Tomé, província de Santa Fé - Argentina;
Local: Templo da Asamblea de Dios;

Uma data inesquecível!!!!!!!!!!!!!!!!!!!





Obrigado meu Deus, pela mulher que eu amo!

O que é vaidade na bíblia?

Por Jesiel Padilha














Temos ouvido não poucas vezes alguém se referir à vaidade como algo que Deus abomina. Mas o assunto que abordaremos não se trata de saber se Deus condena ou não a vaidade, e sim, o seu significado. Realmente Deus a condena, mas será que esta palavra tem sido analisada à luz da Bíblia? Ou tem sido interpretada superficialmente? Quando se fala em vaidade logo se pensa em cabelo, roupas, jóias. Mas quando examinamos o verdadeiro sentido, nos conscientizamos de que a Bíblia não se refere ao fato de alguém se embelezar. A vaidade que Deus abomina é um assunto muito mais abrangente do que certas pessoas querem acreditar. Esta palavra passou por um complexo processo de desenvolvimento, incluindo no seu significado as fases de algo vazio, daí para as porções de inutilidade, ludíbrio e iniquidade.


No Antigo Testamento, a palavra vaidade aparece mais de cem vezes e foi traduzida de três termos hebraicos, a saber: nadab que significa oco, vazio; hebel que quer dizer inútil e shaw que tem sentido de ludíbrio ou falsidade. Das cem vezes que aparece a palavra vaidade, jamais, em toda a Bíblia, significa se embelezar ou andar bem arrumado, com adornos.

Como vimos ser vaidoso na Bíblia significa ser falso, idólatra ou inútil e nunca ser cuidadoso com a beleza. Todos os versículos tanto do Novo quanto do Velho Testamento, que ser referem a vaidade estão relacionados à idolatria, falsidade e coisas vãs. Seguir a vaidade é ser guiado pela '"bíblia das vaidades". A falsa religiosidade tem o mesmo sentido da vaidade segundo a Bíblia, pois aparenta ser santo por fora quando na verdade não o é por dentro. De acordo com as Escrituras, vaidade são coisas fúteis, enganosas e inúteis como: idolatria, auto-suficiência, orgulho, arrogância e tudo aquilo que tem brilho falso. Quando Israel pediu um rei, Deus disse a Samuel que o seu povo havia seguido a vaidade, isto é a idolatria.

O legalismo religioso tem sido combatido pela Bíblia como sendo vaidade, principalmente, no Novo Testamento, onde Jesus condena o farisaísmo, seita judaica que cumpria o protocolo religioso em detrimento da piedade. Ainda hoje, encontramos pessoas preocupadas com o esterótipo e esquecendo do perdão e do amor. Ensinando uma coisa e vivendo outra. Este comportamento se constitui um ato de hipocrisia, portanto, vaidade. Menosprezar as pessoas, pensar que é mais santo ou mais importante do que alguém é vaidade reprovada pelo Senhor. 


Mal entendido

Algumas pessoas têm escolhido o texto de Isaías 3.17-26 para provar que Deus condena o uso de perfumes, adornos, roupas caras etc. Todavia, o texto descreve uma cidade representada por uma mulher que seria humilhada, e desta cidade seria tirado seus adornos, mas também suas roupas. Cuidado com essa interpretação.

No Novo Testamento, temos sete palavras gregas para a tradução de vaidade que são: kenós que significa vazio, aparecendo dezoito vezes; kenophonia, som inútil, termo que aparece duas vezes; mátaios, inútil, seis vezes; mataiotes, inutilidade, surge três vezes; maten, em vão, duas vezes; eikê, à toa, cinco vezes e doreán, sem preço. A vaidade, portanto, é um termo genérico para coisas vazias. A própria vida se torna vaidade quando não se tem Cristo. Ser vaidoso é não ter humildade e não reconhecer que sem o Criador nada podemos fazer. Quanto ao andar limpo, bem arrumado, cheiroso, com roupas adequadas desde que decentes, nada tem a ver com vaidade. Antes, é um cuidado com o corpo que é templo do Espírito Santo.

As mulheres têm sido alvo de perseguição nesse aspecto, enquanto os homens podem usar ternos caros e gravatas requintadas. Para o machista não é conceptível que a mulher esteja por cima, já que a beleza lhe proporciona este status, por se tratar de atração, algo que chama a atenção, portanto superior. Eu fico com a Bíblia (Eu também) e sua recomendações de que não devemos atar fardos pesados nos ombros dos crentes.

A Palavra é nosso manual de conduta, por isso precisamos nos portar como filhos de Deus no meio de uma geração perversa. Devemos evitar os excessos e trajarmos decentemente. A Escritura diz que tudo que é puro, honesto, justo, amável, de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai (Fp 4.8).

Quanto as recomendações bíblicas para a postura da mulher ou do homem no que diz respeito ao traje, tenhamos cuidado, pois existe um abismo cultural muito grande entre a Bíblia e a nossa realidade. Paulo recomenda por algum motivo social da época, as mulheres não usem tranças, ouro, pérola ou vestidos caros. Cumprir esta recomendação seria um absurdo, pois teríamos de proibir o anel de casamento, bem com as tranças tão usadas pelas irmãs e teríamos ainda de investigar quanto custou a roupa das irmãs. É como querer obrigar os crentes a lavar os pés em dia de Ceia ou exigir o ósculo santo (beijo). Existem mandamentos bíblicos que são eternos e existem recomendações para a época, como por exemplo: sair para evangelizar de dois em dois, não carregar dinheiro no bolso, não cumprimentar as pessoas, não viajar com roupas ou sapatos na mala. Cuidado para não confundir recomendações temporais com mandamentos permanentes. O apóstolo Paulo recomenda aos crentes a modéstia, e ensina que o fato de alguém estar bonito ou feio não significa estar santificado, pois a beleza que Deus se agrada é a beleza de caráter (1Pe 3.3).

Fonte: Jornal Mensageiro da Paz/Junho de 1999/seção: Edificação/Autor: Pastor Jesiel Padilha. Titulo original: O que é vaidade; Negritos acrescentados pelo autor do blog.

Sobre o autor: Pastor Jesiel Padilha de Siqueira é Líder da Assembleia de Deus em Santos/SP,   Membro do Conselho de Educação e Cultura da CGADB, também é professor de Novo Testamento e Teologia Sistemática. 


Concorda com:
Eliel Toledo