segunda-feira, 13 de abril de 2015

A DOUTRINA DA TRINDADE

O termo doutrina tem o sentido de estudo, doutrina bíblica é o estudo bíblico a respeito de certo assunto. Um dos temas que estudamos na bíblia é a doutrina da trindade.

A respeito desta doutrina, alguns líderes religiosos acusam-nos de crermos numa doutrina herética, oriunda do Catolicismo Romano, seus seguidores, sem o devido exame bíblico, ignoram certas realidades, vejamos: As religiões possuem uma crença, e não é por ser esta defendida por uma, que deva ser rejeitado por outra, em nosso caso, procuramos defender a verdade, e a buscamos na Bíblia Sagrada. Se o ensino for confirmadamente bíblico, é o que interessa, não importando que outras crenças e religiões também creiam da mesma forma, como eu disse, o importante é a verdade, e esta, deve ser bíblica.

É verdade que o termo trindade não é encontrado na Escritura Sagrada, porém, esta verdade encontra-se notadamente presente de forma implícita na Bíblia, no testemunho dado pelas Escrituras quanto à verdadeira e completa divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mantendo uma distinção de pessoas, em outras palavras, há três pessoas em um único Deus.

Na terceira carta do Apóstolo João (capítulo 5, versículo 7) afirma: “Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um”. Nesta afirmativa a Palavra refere-se a Jesus Cristo. Mesmo que se alguém descubra uma palavra melhor que defina a Trindade Divina, isto é apenas para descrevê-la, não a muda em nada.

Existe um Deus Pai, um Senhor Jesus Cristo e um Espírito Santo (1Co 8.6; Ef 4.3-6). Assim existem três pessoas distintas com divina individualidade e divina pluralidade. O Pai é chamado de Deus (1Co 8.6), o Filho é chamado de Deus (Is 9.6,7; Hb 1.8; Jo 1.1,2; 20.28) e o Espírito Santo é chamado de Deus (At 5.3,4). Como pessoas distintas, cada um pode ser chamado de Deus e coletivamente podem ser considerados um único Deus por sua perfeita unidade, portanto, Trindade Divina.

Alguns grupos acreditam que a Trindade não existe, alguns destes, dizem que Jesus é o próprio Deus Pai, são os chamados unicistas; vejamos agora, apenas três provas de que Jesus não é o Pai:

  1. O Pai esteve no céu todo o tempo que Jesus esteve na terra: Jesus, durante o conhecido Sermão do Monte, afirma “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus (Mt 5.16).
  2. Cristo agora se assenta à direita do Pai. Durante seu julgamento, Jesus responde: “ ...digo-vos, porém, que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Todo-Poderoso, e vindo sobre as nuvens do céu (Mt 26.64), e em Atos 2.33,34 está escrito: “De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis. Porque Davi não subiu aos céus, mas ele próprio diz:Disse o Senhor ao meu Senhor:Assenta-te à minha direita.”
  3. Jesus disse que confessaria os homens diante de seu pai, provando que Ele não é o Pai. “Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus” (Mt 10:32).


A Assembleia de Deus é uma denominação cristã que foi fundada no Brasil no ano de 1911, e acredita na doutrina bíblica da Trindade, conforme a tópico 1 do seu credo: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).





Finalizando, que possamos usufruir da benção de Deus, conhecida como a benção apostólica de 1 Corintios 13.13 onde claramente faz referência à Trindade, “A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com vós todos. Amém!





Bibliografia:
Wycliffe, Dicionário Bíblico.
Dake, Bíblia de Estudo. 

Imagens: Internet

sábado, 31 de janeiro de 2015

Programa de rádio

Louvamos a Deus por mais um canal para levar a Mensagem de Salvação foi aberta neste mês de Janeiro, um programa de reflexão todas as manhãs de segunda à sábado vai ao ar através das ondas da rádio 105.9 da cidade de Serafina Corrêa.

Pode ser ouvida pelos smartphones em qualquer lugar através da internet, baixando o aplicativo radiosnet e adicionando liberdade fm aos favoritos.

Conselhos sobre amizade

Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores” Salmo 1.1
Neste Salmo, o escrito sagrado começa exaltando as alegrias da obediência a Deus e recusando-se a ouvir aqueles que duvidam do Todo Poderoso ou ridicularizam-no. Além de definir as pessoas em 2 segmentos, os justos e os ímpios. Vejamos, portanto, as características que marcam a vida daquele que Deus define como justo:
1.      Ignorar o conselho do ímpio: Quantas pessoas gostam de induzir os outros e implantar suas ideias? Mas será que suas ideias são realmente sadias e as melhores atitudes a se tomar? O escritor de provérbios afirma que a sabedoria está na multidão de conselhos, pois, é interessante ouvir a opinião dos outros mas, devemos analisar e tomar a decisão que melhor lhe cair ao coração e, mais ainda, buscar a direção divina para tomar a decisão certa. Não vá cegamente pela cabeça dos outros, como diz o ditado popular, mas primeiramente os analise de acordo com os princípios bíblicos, coloque diante de Deus em oração e após sentir paz vá em frente e tome a decisão.   
2.      Não deter-se no caminho dos pecadores: Quando estamos numa caminhada temos um objetivo a alcançar, chegar ao destino com segurança e em tempo hábil. Infelizmente em nossa caminhada espiritual tem pessoas que insistem querer nos deter, querem nos fazer parar para impedindo nossa progressão. A Bíblia nos diz para evitarmos parar no caminho e darmos ouvidos a pecadores, ou seja, aqueles que não tem nenhum compromisso com a verdade e vivem uma vida desregrada e de insubordinação a Deus. Eles estão errando o alvo e querem nos arrastar com eles também. Disse Jesus “Eu sou o caminho”, portanto, que ninguém o detenha de trilhar este caminho de salvação.
3.      Não assentar-se na roda dos escarnecedores:  Que grupinho é este que tem prazer em escarnecer? O não assentar vai muito além da presença física, representa não pactuar, não fazer parte. É comum, ter pessoas a nossa volta que não respeitam a Deus, escarnecem do nosso pai celestial, praguejam contra nosso criador e fazem isto com uma naturalidade incrível, esta é a roda dos escarnecedores. Se eles descobrem que no seu grupo de trabalho tem alguém temente a Deus, não perdem tempo em fazer piadas com a sua fé e desrespeitar suas escolhas. Recentemente acompanhamos os noticiários informando sobre o acontecido na França, no ataque realizado por extremistas religiosos a sede de um jornal conhecido por suas sátiras desrespeitosas à religião, depois da tragédia fomos mais informados sobre o conteúdo destas sátiras e realmente ficamos abismados com tamanho desrespeito a fé. Podemos claramente defini-los como uma roda de escarnecedores. De um lado o extremismo religioso que age com uma violência totalmente reprovável pelo mundo civilizado e do outro uma liberdade de expressão desrespeitosa que brinca com a fé das pessoas.

Nossos amigos e colegas podem ter uma profunda influência sobre nós, porém precisamos definir que tipo de pessoas nós somos, os influenciáveis ou influenciadores. Se insistirmos na amizade com os que escarnecem do que Deus considera importante, podemos vir a pecar, sendo influenciados por eles e tornando-nos indiferentes à vontade de nosso Pai Celestial. Porém podemos ser influenciadores, evitando que os amigos abalem nossa fé. Saiba querido leitor, que os verdadeiros amigos devem nos ajudar a sermos mais próximos de Deus e não dificultar este processo tão maravilhoso de comunhão com Deus. 

Pr. Eliel Toledo de Chaves
www.adserafina.com.br

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Confiarei (louvor)

Ouça este louvor a Deus na simplicidade desta garota!




quinta-feira, 19 de junho de 2014

A RAIZ DO MAL

"Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores". 1 Timóteo 6:10

O portal de notícias G1 noticiou que na Índia, uma mulher de 22 anos foi queimada viva por seu marido, sogros e cunhado.  O motivo seria o não pagamento de um dote que a mulher e sua família deveriam pagar ao noivo, que já estava casado com ela a cerca de um ano e a promessa não havia sido cumprida. 

Naquele país, existia esta prática há séculos, a mulher deve pagar um dote ao marido por este casar com ela, porém esta prática foi proibido por lei já a alguns anos atrás, mas de uma forma ilegal, muitas pessoas continuam a praticá-la. Segundo dados da Fundação Vicente Ferrer, entre 25 mil e 100 mil mulheres são assassinadas na Índia a cada ano por causa do dote.

Este é mais um caso absurdo que vemos a natureza humana pendendo para as coisas da carne. O desejo pela riqueza é um mal que precisa ser vencido pela humanidade. "Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência e a mansidão"(1Tm 6.11).

Este tipo de crime continua a acontecer na Índia, país que a muito tempo recebeu um homem piedoso e apaixonado pela conversão de almas chamado Willian Carey, britânico que ficou conhecido como o pai das missões modernas. Uma das cenas que mais o chocou foi justamente presenciar um sacrifício humano, numa prática cultural realizado naquela ragião indiana.  Até mesmo a cultura de um povo deve ser transformada quando esta é condenada pelo Deus todo poderoso, criador dos céus e da terra, e de tudo que nela há. 

No Brasil não há a cultura do dote, mas o apego ao dinheiro, o desejo pela riqueza tem sido o motivo de muitos crimes em nosso país. A cobiça leva a todos os tipos de males: problemas no casamento, roubo, destruição de relacionamentos, etc. Para dominar a cobiça primeiramente devemos amar a Deus sobre todas as demais coisas e após, submetermos ao senhorio de Cristo em nossa vida. 

Pense nisso!

Pr. Eliel Toledo


Leituras sugeridas: Eclesiastes 8.8; Êxodo 20.1, 13; 1 Corintios 3.17; João 10.17,18; 1 Samuel 2.6. 1 Timóteo 6.7-12.